Sage Northcutt

Ele é considerado a “grande promessa” do UFC. Mas enquanto Sage chega pela Intersate 10 em seu Toyota Tundra, o lutador mais jovem do UFC não consegue parar de falar sobre um jacaré.

Várias vezes em sua adolescência, quando Sage ia a uma lagoa próxima de casa para pescar, os jacarés devoravam a vara, a isca, etc. Pondo um fim na excursão do dia. Em algumas dessas investidas, um jacaré ficou com o anzol preso em sua bochecha. Por mais irritante que fosse perder sua pesca para o animal, Sage e seu irmão Shaun se esforçaram para retirar o gancho do jacaré sem machucá-lo.

Muitos que ouviam as histórias de Sage ficavam surpresos com sua natureza ousada. Eles não conseguiam entender por que ele apenas não tirava sua linha em vez de arriscar perder suas mãos.

“Poxa cara”, Sage disse, “não vou deixar um gancho na bochecha de um jacaré. Isso não seria legal”.

Difícil alguém ser audacioso o suficiente para em um minuto entrar em disputa com um jacaré e logo depois tomar um super cuidado para não machucá-lo. Mas, passando apenas algumas horas perto de Sage, fica claro que ele é de uma categoria diferente. Especialmente no UFC. A organização nunca exibiu uma estrela como Sage Northcutt. E os fãs de MMA nunca testemunharam um lutador que fosse tão diferente dentro e fora do octógono.

O esporte mais violento do mundo agora apresenta um bacharelado de Engenharia de Petróleo pela Texas A&M, e nunca tirou menos que um “A” em seu boletim.

O mesmo cara que sufoca oponentes e os humilha com chutes giratórios, entra no octógono ao som de uma música chamada “Awsome God”.

Competindo em mais de 10 modalidades, Sage ganhou tantos títulos mundiais em MMA que eventualmente começou a dar seus troféus de primeiro lugar para os fãs, às vezes até mesmo para outros competidores, antes de deixar a arena. E tudo isso antes de se juntar ao UFC!

O “Rei do Baile de Formatura” e favorito da sala de aula não fala palavrões, não bebe e não come fast food, se focando em manter um físico de dar inveja a qualquer Deus grego. Inclusive, esse físico é tão impressionante que muitos críticos já questionaram se Sage utiliza esteroides.

“Eu considero um elogio, se as pessoas acham que eu uso esteroides eu devo estar fazendo algo certo na academia” – comentou Sage.

“As pessoas sempre me perguntam, Isso é real? É genuíno? Ele é mesmo assim?”, contou Colbey, a irmã de 23 anos de Sage. “Eu sei que as pessoas pensam que é falso, mas não é. Ele realmente é assim. Esse é o Sage.”

E as pessoas não cansam dele. Um chat ao vivo com Sage no Facebook recebeu mais de 12.000 visualizações, só nos primeiros 5 minutos! Dois dias depois, ele anunciou que assinou um contrato com a Reebok, que apareceria em comerciais de carro e participaria de palestras.

Durante a divulgação de sua luta no UFC 200 com Enrique Marin, a rádio 94.5 FM, do Texas, se referiu a Sage como “o futuro do UFC”. Uma declaração ousada? Talvez. Particularmente para um cara que está a menos de um ano em parceria com o evento.  Mesmo assim, Sage transborda confiança enquanto estaciona na academia para seu segundo treino do dia:

“Meu objetivo é ser o campeão de UFC mais jovem da história. Eu estou pronto… Eu treinei para isso minha vida toda.”

Dana White não pode deixar de achar graça. Em junho de 2015, com as câmeras gravando para o episódio piloto de “Lookin’ for a Fight”, o presidente do UFC sentou em um restaurante em Lake Charles, Louisiana e começou a passar pelas fotos dos lutadores de MMA. Quando viu a foto de Sage (na época com 19 anos, bermuda de surf, bronzeamento artificial e cabelo loiro espetadinho) as piadas rolaram soltas entre Dana e o ex-campeão de UFC, agora apresentador Matt Serra:

“O que é isso? Um modelo da Abercrombie? Esse cara sabe lutar?”

Algumas horas depois, as mesmas câmeras capturaram Dana White com a boca aberta, enquanto Sage derrubava seu oponente Gage Duhon com um chute lateral, para em seguida terminar a luta com um mata leão, deixando White de pé:

“P— M—–! Eu não vou mais zoar com ele!”

Mais ou menos 5 semanas depois, White telefonou para Sage oferecendo um contrato com o UFC. Por mais inesquecível que esse momento tenha sido para Sage, os mais próximos a ele não se surpreenderam com o acontecimento.  Por que Sage já está nos holofotes a mais de uma década.

Tudo começou quanto Sage tinha 4 anos. Semana após semana, assistindo sua irmã Colbey nas aulas de karatê, ele implorou para sua mãe deixa-lo participar. Mesmo seu filho sendo 3 anos mais novo que os outros alunos, Becky Northcutt acabou cedendo.

Após umas aulas, Sage já estava apaixonado. Em dois anos, ele e sua irmã já estavam viajando pelo mundo competindo em torneios. Rússia, Irlanda, Croácia, México, Guatemala, a dupla estava se tornando destaque em todo evento de karatê do mundo. Quando não estava chamando atenção dentro do tatame, estava do lado de fora.

Quando tinha 6 anos, Sage já fazia 1.000 agachamentos e flexões no chão da sua sala. Ele também se destacou no “Golden Gloves” e no “Texas Kickboxing circuit”. As fotos dele dessa época já o mostram segurando garrafas da “Labrada”, marca de suplementos que o patrocina hoje em dia. Com 9 anos, apareceu na revista Sport Karatê Magazine, sendo o garoto da capa mais jovem da história.

Porém, mesmo com todo o sucesso, Sage acabava ficando entediado nos torneios.  Cada evento apresenta diversas modalidades para competir. Inicialmente, Sage participava apenas de algumas, como “Pontin Fighting” e a luta tradicional. Virou rotina ganhar uma partida cedinho e acabar dormindo nas arquibancadas, enquanto esperava sua hora de competir de novo.

“Nós queríamos ter certeza de que seria divertido para ele. Então começamos a procurar coisas novas.” – Mark Northcutt (pai do Sage).

Para que isso fosse possível, Sage começou a participar dos mais variados tipos de eventos, e quase sempre ele ganhava.

Esse sucesso não veio sem um preço. Várias vezes durante sua infância, Sage deixou de participar de pescarias, pedaladas e outros passeios com seus amigos para treinar com instrutores de elite.  Em um final de semana era um técnico do Japão, no outro, poderia ser um especialista em karatê da Califórnia. Mark estima que mais de 50 técnicos particulares viajaram para sua casa,  cada um trabalhando com Sage de 3 a 4 horas por dia.

“Não é como se estivéssemos escravizando ele, obrigando-o a treinar essa quantidade de horas. Sage queria treinar, era divertido para ele. Nem todo mundo tem esse tipo de fervor, é uma qualidade especial nele.”

Sua dedicação resultou ao final de sua carreira amadora, no recorde de 77 títulos mundiais. “Ele vencia crianças que se especializavam em determinada categoria. Seus oponentes passavam um ano treinando uma habilidade específica, enquanto Sage passava 2 horas por semana treinando cada uma delas, pois ele tinha mais 10 para trabalhar. Era inexplicável a facilidade que ele tinha para dominar alguma coisa.” – Mark.

Aproximadamente 1.000 troféus, tanto de Sage como de Colbey, estão expostos na Wholesale Nutrition Center, loja saudável de seu pai em Houston. Mark estima que ainda há, além desses, mais de 500 troféus no estoque.

Sage diz que sua agenda de viagens o fazia perder entre 50 e 60 dias de aula por ano no colégio. “Sim, eu perdi algumas coisas, mas eu tinha amigos no circuito. E eu estava fazendo coisas que outras crianças da minha escola não estavam. Eu tive a chance de ver o mundo.” (Sage).

Sage se tornou profissional depois do Ensino Médio, assinando um contrato com a “Legacy Mixed Martial Arts”. Porém, com o início do seu curso de Engenharia do Petróleo na universidade Texas A&M, ele foi forçado a abandonar sua rigorosa rotina de treinos. Enquanto outros lutadores passavam horas na academia, Sage estava ocupado construindo robôs para um projeto, ou na biblioteca estudando para uma prova de química. Sua preparação para uma luta consistia em um leve treino com sacos e corrida, algumas semanas antes do evento.

Mesmo com pouca preparação, ele foi top draw do Legacy e, de acordo com seu pai, geralmente é responsável por pelo menos, $ 10.000 em vendas de ingressos.  Depois de assistir Sage em apenas uma luta, Dana White entendeu o porquê: “você me impressionou”, disse para Sage depois de vê-lo vencer em Louisiana, naquela tarde de junho de 2015.

Um mês depois de assinar o contrato de Sage com o UFC, Dana telefonou para o pai dele: “Eu não sei o que é, mas eu só consigo pensar no Sage. Não consigo tirar ele da cabeça!”.

Anos atrás, o renomado evangelista Benny Hinn estava no meio de um sermão, quando parou, andou na igreja com aproximadamente 1.000 pessoas, em San Antonio e apontou para um garoto no meio da multidão:

“Jovem, por favor, levante.”

Sage Northcutt, com 14 anos na época ficou de pé.

“Eu quero que todos aqui saibam que esse garoto foi tocado pelas mãos de Deus.” Hinn anunciou. “Ele vai atingir milhões com sua voz.”

Hinn não conhecia Northcutt, que estava na missa com sua família naquela tarde. O evangelista apenas olhou nos olhos de Sage e sentiu que ele era diferente, que era especial.

“Deus tem planos para Sage”, disse Mark Northcutt. “Ele tem a habilidade de atingir as massas.” É por isso que a família toda acredita que Dana White ter descoberto Sage foi um caso de intervenção divina, e não apenas o acaso.

Por mais que ele aprecie essa oportunidade de brilhar no octógono, Sage diz que a melhor parte do UFC é que o mesmo serve de plataforma para ele ser um modelo para os outros.

Quer seja o paciente de câncer de 11 anos, para quem Sage iniciou o site GoFoundMe, ou os fãs que chegam a ele por meio das mídias sociais, Sage espera que seu jeito de ser contagie todo mundo que o assista competir ou leia sua história.

“Ele é o Tim Tebow do UFC” – disse Becky Northcutt. (mãe de Sage)

Frequentemente, quando estava no ensino fundamental, Sage comia com os estudantes especiais no almoço, para eles não se sentirem excluídos. Essa atitude serviu de exemplo para seus amigos, que seguiram sua atitude. Nos intervalos dos torneios de karatê, ele falava com os outros competidores sobre a Bíblia e a importância de frequentar a igreja.

Juntamente com o prêmio de “Rei do Baile”, Sage também conquistou o título de “Sênior de maior destaque”, uma honra, mais impressionante ainda se considerarmos que ele estudou nessa escola durante apenas um ano.

Alguns repórteres tiveram uma dose da boa energia de Sage durante a promoção de sua luta de 9 de Julho. Ele disse que estava super empolgado para tirar uma “selfie” com Brock Lesnar, o card principal do UFC 200. Quando perguntaram sobre Dana White, ele simplesmente respondeu: “O Sr. White é muito legal”.

No dia anterior, ele recusou uma proposta de cinco dígitos da Topps para deixar assinados aproximadamente 1.000 cards, por que ele gosta de interagir com os fãs e autografar pessoalmente os itens para os mesmos.

“Eu acho que nunca o vi ficar realmente bravo” – disse Colbey. – “Seria assustador se ele ficasse. Quando você conhece Sage, quando se acostuma com sua personalidade e vê que é verdadeira, é impossível não gostar dele. Ele é um cara que todos querem ter por perto”.

Com apenas 3 lutas em sua carreira no UFC, Sage com certeza sabe seu lugar. Ele percebe que seria um erro tentar fazer muito, enquanto trabalha para estabelecer seu nome. “Não é como se ele fosse pegar o microfone depois de sua terceira luta e gritar ‘ Eu louvo Jesus Cristo’, seu pai disse”.

Ainda assim, os próximos a Sage estão confiantes que ele eventualmente se tornará um modelo no esporte que há muito tempo é exemplo de pessoas “mala” e arrogantes.

“Ele trás um elemento diferente para o UFC” – segundo Brett Robinson, seu treinador particular de luta livre. “Você vê um monte de “bad boys” que alimentam essa coisa negativa. Sage é o oposto. Os fãs pensam que ele é só um cara bonito, mas quanto mais você o conhece, mais você percebe como ele realmente é”.

Mark Northcutt está satisfeito que as coisas com seu filho fluíram. Há mais ou menos um ano atrás, pouco antes de ser chamado para o UFC, Sage estava considerando a aposentadoria. Ele não estava ganhando muito dinheiro, e sabia que seu curso de engenharia na faculdade iria se tornar cada vez mais exigente.

“Por que estou perdendo meu tempo?” ele perguntou para o seu pai. “Eu estou na melhor faculdade de engenharia do país, não deveria focar minha atenção e dedicação nisso?”

Mark falou para Sage Relaxar; “Você quer entrar para o UFC desde que tem 9 anos. Você ganhou todas essas lutas, e nem tem treinado. Vamos tentar um pouquinho mais e ver o que acontece. Essa é sua vocação e seu veículo para espalhar a sua voz”

Enquanto a manhã da turnê de Sage avança em Houston, a coordenadora de Relações Públicas do UFC, Paige Berger, se ofereceu para levá-lo e a seu pai para tomar café da manhã. Eles recusaram. “Foi um gesto gentil, mas Sage não pode comer” – disse Mark Northcutt.

Isso não é 100% verdade. Sage não está se matando de fome, mas com sua luta do dia 09 de julho se aproximando, sua dieta é limitada a peito de frango magro, peixe, vegetais, clara de ovo e seu sempre presente shake de proteínas da Labrada. Sage compete na categoria peso leve, está pesando 78 kgs, mas precisa estar com 70 para a pesagem, um dia antes da luta. “Não posso ter nenhum dia de trapaça” – Sage disse.

Não que ele realmente tenha alguma. Sage não come fast food há anos. Sua mãe disse que apenas dois pedacinhos de pizza são o suficiente para que ele se sinta culpado.

O comprometimento de Sage com uma dieta restrita não é a única característica que o diferencia dos seus concorrentes. Ele também é um grande levantador de peso, consegue levantar diversas vezes 125 kg no supino e 185 kg no agachamento.  Ele levanta 225 kg no levantamento terra e faz intensos treinos de cardio, juntamente com os de agilidade.

“Eu acredito que eu sou um dos lutadores mais fortes em minha categoria e o mais explosivo e rápido. Também estou confiante que eu tenha o melhor cardio, se não do UFC, pelo menos da minha categoria”.

Talvez, a coisa mais encorajadora sobre Sage é que, por mais que ele seja uma promessa até agora, ainda não chegou perto de atingir seu teto.  Ainda há bastante espaço para melhor, especialmente agora que desacelerou seu curso na faculdade, para poder treinar em tempo integral. Sage não vai ter nenhuma aula nesse verão, e planeja fazer apenas 2 no outono. Depois de passar 2 anos morando no dormitório da faculdade, se mudou de volta para casa e pretende fazer o percurso casa-faculdade algumas vezes por semana.

“Estou na melhor forma da minha vida, o UFC espera que você esteja no seu melhor. Se você está treinando pouco, passa a maior parte do tempo na faculdade, é impossível estar no seu melhor”.

Enquanto Sage com certeza usufrui de muito apoio – incluindo mais de 300mil seguidores no instagram – ele também tem seu número de “haters”.

Céticos perguntam quanto Sage vai melhorar tendo seu pai, faixa preta em karatê, como técnico. Alguns acreditam que ele deveria treinar numa academia maior, como a Jackson-Winkeljohn MMA, onde o Jon Jones treinava, ou a American Top Team, palco de treinamento de Antonio Silva, Glover Teixeira e Robbie Lawler.

Outra crítica popular a Sage é que ele foi trazido ao UFC muito rápido, que seu currículo e sua experiência não lhe rendiam um contrato. Alguns acusam Dana White de ter assinado com Sage não por causa de seu talento, mas pelo seu físico de modelo e carisma, que o fariam uma pessoa fácil de vender.

White ouviu a mesma coisa em 2013, quando assinou com Paige VanZant, uma jovem atraente que depois de um tempo participou do programa “Dancing with the stars”. Sage e Paige são chamados de “Ken e Barbie do UFC”. Sage riu quando soube do rótulo e fez referência ao seu recorde 7-1 como profissional, que inclui uma marca de 2-1 no UFC.

“As pessoas podem dizer o que quiserem. Mas você pode silenciar um monte de gente quando vai lá e ganha. Eu tenho 4 nocautes e 3 submissões. Está sendo bem convincente”.

As críticas a Sage estouraram quando ele perdeu a luta para Bryan Barbarena, sua primeira derrota no UFC. O que poucas pessoas sabem é que Sage visitou um pronto socorro 48 horas antes, com um caso grave de faringite, que causava uma imensa dor, além de afetar sua respiração. Ele disse que sua situação estava tão ruim que nem foi para os aquecimentos pré-luta.

“Caso eu estivesse saudável teria terminado a luta rapidamente no primeiro round. Foi uma causalidade, eu não estava nas melhores condições. Mas também não há razão para ficar para baixo. Vou usar o acontecimento como motivação. Eu sei do que sou capaz.”, diz Sage.

Mais um caso de “copo meio cheio” para Sage, que com 9 anos falou para a revista Sport Karatê que tinha dois objetivos em sua vida. O primeiro era lutar no UFC um dia. Missão cumprida.

O outro objetivo?

“Ele disse que queria estrelar um filme de ação. Tenho certeza que eventualmente ele vai.” – disse Colbey.

Alguns segundos passaram, e Colbey ficou em silêncio, não mostrando nem uma sombra de um sorriso. Ela não estava brincando sobre seu irmão ter futuro nas telonas?

“Ah não, eu estava sendo muito séria. Não me surpreenderia nem um pouco. Sage pode fazer basicamente tudo que ele quiser. Não há como dizer o que o futuro aguarda para ele.”.

 

EUA

Sage Northcutt

PRO MMA FIGHTER